19/05/17 10h50 - Rondonense Thiago Wild arrasa italiano e decide o título em Santa Croce, na Itália             ¤             19/05/17 10h26 - Três motocicletas foram furtadas nas últimas horas em Marechal Rondon             ¤             19/05/17 10h14 - Museu Histórico AK de Marechal Rondon participa da Semana Nacional de Museus             ¤             19/05/17 09h37 - Teatro sobre pedofilia é apresentado aos alunos do Rui Barbosa             ¤             19/05/17 09h30 - Prefeitura de Maripá convoca para Prova de Títulos os candidatos aprovados nos cargos de professor             ¤            
EDUCADORA AM

Diretor-geral garante que royalties da Itaipu não vão acabar em 2023

19/05/17 14h05 | Região

A- | A+

Os royalties de Itaipu não vão acabar em 2023, quando será revisado o Anexo C do Tratado assinado entre Brasil e Paraguai.


Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Vianna, o que poderá mudar, dependendo das negociações entre os governos dos dois países, é a forma do cálculo do valor desse repasse. “Portanto, os prefeitos dos municípios beneficiados não precisam temer essa possibilidade”, explica Vianna.


Os royalties estão previstos no Tratado de Itaipu, assinado em 1973 e aprovado pelos Congressos de ambos os países.


Com isso, mesmo após 2023, Itaipu seguirá compensando financeiramente os dois países pela utilização do potencial hidráulico do rio Paraná para a produção de energia elétrica.


O recurso representa uma das principais fontes de receita dos municípios beneficiados pela compensação.


Cada país está estudando os cenários possíveis para o pós-2023, quando a usina estará amortizada.


De acordo com o diretor-geral brasileiro, os estudos para a renegociação do Anexo, que expira em 2023, quando finda o pagamento da dívida contraída para a construção da usina, estão entre os temas estratégicos da binacional para os próximos anos.


 


Fazem parte dessa agenda também a renovação tecnológica da usina e a continuidade das ações sociais, ambientais e de desenvolvimento sustentável implementadas pela Itaipu na região.


 


(Rádio Educadora/Com Inf. Assessoria)

Compartilhe

voltar